Mais de cem mil cearenses já declararam o IR

A declaração do Imposto de Renda este ano segue até 30 de abril. Por enquanto, a Receita Federal já apresenta uma boa movimentação dos contribuintes em antecipar a entrega das informações financeiras referentes ao ano passado.

Com 20 dias do início do prazo estipulado pela Receita já foram entregues quase 106 mil declarações. Um número considerado bom diante das 635 mil previstas para este ano no Ceará.

Está obrigado a apresentar a declaração anual quem, no ano passado, recebeu rendimentos tributáveis com soma superior a R$ 28.559,70 e, em relação à atividade rural, com receita bruta em superior a R$142.798,50. A declaração pode ser feita pela internet através do Programa Gerador de 2018 no site da Receita Federal (rfb.gov.br). “As regras para este ano trazem algumas novidades como o maior detalhamento dos bens e a informação de CPF de dependentes a partir de 8 anos de idade”, afirmou Vitor Casimiro, assessor de imprensa da Receita Federal.

Há opções para fazer a declaração de forma simplificada ou utilizando os critérios de dedução de despesas médicas, com dependentes, educação e contribuições com a Previdência.

Nas despesas com dependentes, o valor anual permitido é de R$ 2.275,08. Na educação, o limite individual permitido por ano para cada membro da família é R$ 3.561,00. Quanto às despesas médicas, podem ser deduzidas integralmente, desde que estejam relacionadas ao tratamento próprio ou de dependentes. Os contribuintes também podem deduzir sem limites todas as contribuições feitas à previdência social. “Há ainda a possibilidade de deduzir do imposto de renda os valores pagos de Contribuição Patronal à Previdência Social do empregado doméstico”, disse o contador Caio Honorato.

Para quem extrapolar o prazo de 30 de abril para entregar a declaração, a multa aplicada é de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, lançada de ofício e calculada sobre o Imposto sobre a Renda devido, com valor mínimo de R$ 165,74 e máximo de 20% do Imposto sobre a Renda devido.

 

 

Fonte CNEWS