Alunos, pais e professores fazem protesto por segurança em escola onde aluno foi morto no Ceará

Alunos, pais, professores e funcionários da Escola de Ensino Médio Eunice Weaver em Maranguape realizam na manhã desta segunda-feira (9) um protesto pedindo mais segurança no local. Cerca de 70 pessoas participam da manifestação expondo cartazes e faixas. O aluno Francisco Matheus Lima Gurgel foi assassinado a tiros dentro de uma sala de aula da unidade na quarta-feira (4). As aulas foram suspensas e só serão retomadas nesta terça-feira (10).

A aluna Cláudia Alencar cursa o terceiro ano e estuda pela manhã. Ela conta que não conhecia o rapaz que morreu, mas diz que a insegurança existe em todos os horários. ” Todos aqui estamos pedindo mais segurança. O que aconteceu com ele pode ocorrer com qualquer um aqui. Há assaltos constantes na região. A escola precisa também melhor a segurnança”, diz.

Discussão

A secretaria da Segurança do Ceará informou que dois homens pularam o muro detrás da instituição.

De acordo com o delegado de Maranguape, Francisco Braúna, na noite anterior, Matheus havia discutido com o ex-namorado da sua namorada, e testemunhas teriam visto o rapaz andando armado nas proximidades da escola.

Após o homicídio, os alunos deixaram a escola, e o local foi isolado por policiais. A Polícia Civil investiga o caso e segue em busca dos suspeitos. Ninguém foi preso.

Em nota, a Secretaria da Educação (Seduc) lamentou o ocorrido e disse que a Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação (Crede) 1 adotou todas as providências necessárias juntamente com a direção da escola.

Fonte G1