Hospital César Cals usa plasma em tratamento de feridas em diabéticos

Um novo tratamento, realizado pelo serviço de Estomaterapia. do Hospital Geral Dr. César Cals, está fazendo o uso de plasma sanguíneo, rico em plaquetas, para o tratamento de feridas. Os resultados são positivos e vem proporcionando melhorias aos pacientes com pé diabético. A aplicação do plasma é feita uma vez por semana. nos pacientes e é realizada também a limpeza e troca do curativo biológico. “O tratamento pretende estimular o organismo à regeneração orgânica das lesões tanto na ferida, quanto nas terminações nervosas”, explica Ricardo Oliveira Lima, enfermeiro estomaterapeuta do hospital.

De acordo com a enfermeira Amelina de Brito Belchior, também da equipe, para que a utilização do plasma fosse possível, foi necessário validar todo o tratamento, desde a coleta de sangue até a aplicação. Esse processo durou mais de seis meses no laboratório do HGCC, com a realização da adaptação de protocolos, rotinas e ações de acordo com a literatura clínica especializada. Somente depois de tudo isso é que o tratamento passou a ser utilizado.

“É feita a coleta de sangue do próprio paciente, em torno de 30 ml, que é levada para o laboratório. Lá é realizada a centrifugação e, em seguida, a coleta da porção rica em plaquetas. Essa porção é aplicada diretamente na lesão”, explica Amelina, que está desenvolvendo uma pesquisa para a especialização em relação ao tratamento disponível no HGCC. É essa porção que possui fatores de crescimento, como fibroblastos e citocinas anti-inflamatórias, que ajudam na cicatrização e regeneração dos tecidos orgânicos.

Esse mesmo tratamento, de acordo com a equipe de Estomaterapia, é utilizado mais pelos dentistas, em alguns procedimentos, em cirurgias de estética e ortopédica. No serviço público ainda não é utilizado, especialmente o uso em feridas, iniciado pelo HGCC e o único a fazer uso da técnica. Início desde fevereiro de 2018.

(Com SESA