Parte da cupula do PSDB mantêm apoio a Aécio e não pensam em expulsá-lo

Uma enquete realizada pela Folha de São Paulo mostrou que dos 41 membros da Executiva Nacional da sigla, pelo menos 12 não encontram motivos para expulsar o senador Aécio Neves (MG). O parlamentar. se tornou réu no Supremo Tribunal Federal (STF).

Eles também entendem que o próprio senador mineiro é quem deve decidir, junto ao diretório estadual mineiro, se será candidato neste ano.

Para o o líder do PSDB na Casa, Nilson Leitão (MS), caso os partidos fossem expulsar todos os réus, não sobraria muita gente. Ele entende que Aécio deve ter uma chance de se defender perante a Justiça. Vinte e oito tucanos não quiseram comentar o assunto e o prefeito de Manaus,,Arthur Virgílio Neto, criticou a agremiação, afirmando que se PSDB tivesse uma comissão de ética que funcionasse e não fosse uma reunião de compadres, Aécio seria expulso. Disse que o prório Aécio deveria tomar a atitude de sair.

A reportagem não contactou Aécio, também membro da cúpula do PSDB. Outros cinco integrantes do grupo não foram localizados.

O senador virou réu pela primeira vez no Supremo no dia 17 de abril, por causa do episódio em que foi gravado pedindo R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, da JBS, em março de 2017. As acusações são de corrupção e obstrução de Justiça.

Dos 36 entrevistados, só três membros afirmaram que Aécio não deve ser candidato, além de Virgílio, os deputados Geraldo Resende (MS) e Mara Gabrilli (SP), ambos suplentes na cúpula partidária.

Nos bastidores, a decisão de não se posicionar é vista como estratégica. Membros do alto comando da legenda afirmaram que a tendência é que Aécio desista de qualquer candidatura, mas temem que uma pressão partidária nesse sentido possa ter o efeito contrário sobre o senador.

Alckmin, que é o atual presidente do PSDB, e Doria não responderam à pesquisa da Folha. A executiva, que segundo listagem do site da sigla possui 42 membros, é formada por senadores, deputados federais, ex-presidentes do partido e lideranças de grupos como o Tucanato, movimento negro tucano, e da juventude do partido.

 

Fonte Ceara Agora