Pesquisadores alertam para praga invasora na cultura de carnaúba no Ceará

Estudo da UFC, IFAL e Embrapa identificou, pela primeira vez, a presença de infestações do ácaro-vermelho-das-palmeiras (Raoiella indica Hirst) em carnaúbas tanto do Ceará como de Alagoas.

Pesquisadores identificaram, pela primeira vez, a presença de infestações de uma praga invasora identificada como ácaro-vermelho-das-palmeiras (Raoiella indica hirst) em carnaúbas do Ceará e de Alagoas. O estudo é da Universidade Federal do Ceará (UFC), do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas (IFAL) e da EMBRAPA Tabuleiros Costeiros.

De acordo com a pesquisa, esse tipo de animal provoca a necrose das folhas atingidas, reduzindo a produtividade das plantas. Ele tem chamado a atenção de estudiosos de diversas regiões devido a sua capacidade de dispersão. Até 2004, ele só era registrado no Hemisfério Oriental. Em 2009, aportou no Brasil e hoje já está espalhado por todas as regiões do País.

Um dos autores do artigo, o professor José Wagner da Silva Melo, do Departamento de Fitotecnia da UFC, mostrou preocupação com o fato de a praga ter se espalhado com muita velocidade no país.

“A preocupação é que, no Hemisfério Oriental, foram relatados menos de 10 hospedeiros para ele. Quando chegou às Américas, e especialmente ao Brasil, foi se espalhando de forma assustadora. Mais de 100 espécies nativas já foram atacadas”, explica.

O docente lembra ainda que a cultura da carnaúba no Ceará é extrativista, com uma população de plantas já envelhecida. Apesar disso, ela tem forte impacto econômico e social e uso muito diversificado.

“Se o ácaro-vermelho-das-palmeiras é um problema com coqueiros, que têm tratamento de cultivo mais desenvolvido, quanto se pode perder com uma cultura que é extrativista?”, questiona.

Fonte: G1 Ceará