Partidos podem usar dois pesos e duas medidas na decisão sobre envolvidos com invasão de Poderes

Os dirigentes dos partidos com filiados envolvidos nos atos de vandalismo em Brasília estão determinados a puní-los, mas o rigor da mão forte contra aqueles que participaram da invasão às sedes dos Três Poderes da República não será no mesmo tom para quem tem mandato parlamentar. O Líder da bancada do PL na Câmara, Altineu Côrtes (RJ), afirmou que “membros do partido que forem vistos em vídeos destruindo prédios serão expulsos imediatamente”.

JORNAL ALERTA GERAL


Esse é um dos assuntos no Bate Papo Político, no Jornal Alerta Geral, edição desta quinta-feira (19), com a participação do repórter Carlos Alberto e do comentarista Beto Almeida. O Jornal Alerta Geral, que é gerado pela FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza, tem transmissão por 20 emissoras de rádio e pelas redes sociais do @cearaagora. O Jornal Alerta Geral entra no ar às 7 horas da manhã, de segunda a sábado.

O presidente nacional do União Brasil, Luciano Bivar, está nessa mesma linha e disse que filiados que praticaram atos desta natureza serão expulsos. Segundo ele, se algum órgão comprovar a participação nos atos de vandalismo, aí sim, serão abertos procedimentos internos para a expulsão. O PP, que tem a deputada Clarissa Tércio (PE) citada pela Procuradoria Geral da República, não se manifestou oficialmente.


O deputado federal André Fernandes e a deputada federal Clarissa Tércio negaram em suas redes sociais terem incentivado atos antidemocráticos. O cearense André Fernandes disse, ainda, que não convocou ninguém para o ato e afirmou que não sabia que haveria “quebra-quebra nem vandalismo”.


Há, nos bastidores políticos, que os partidos usarão dois pesos e duas medidas para punir militantes, mas proteger deputados que tenham ligações com os atos do dia de janeiro ocorridos em Brasília.

REDES SOCIAIS

Instagram: Ceará Agora
Facebook: Ceará Agora
Youtube: Ceará Agora 
Twitter: Ceará Agora


LINHA DIRETA PARA OUVINTES


WhatsApp (85) 99273.4353
 

Fonte: Ceará Agora