Presos por fraude ao concurso da PM do Ceará afirmam que pagariam R$ 2 mil por ponto eletrônico

O pagamento seria realizado apenas se os suspeitos fossem aprovados no concurso

Dois suspeitos de tentar fraudar o concurso da Polícia Militar do Ceará (PMCE), no último domingo (22), revelaram à Polícia Civil do Ceará (PC-CE) que pagariam R$ 2 mil, para ter acesso a um ponto eletrônico e ficar em comunicação com outros criminosos. O pagamento seria realizado apenas se eles fossem aprovados no concurso.

Antônio Lucas Pessoa da Silva e Felipe de Oliveira Peixoto, ambos de 29 anos, e um terceiro homem foram presos em flagrante no Município de Iguatu (a cerca de 340 km de distância de Fortaleza), por suspeita de integrarem um esquema criminoso. O trio é morador de Pernambuco e teria viajado junto ao Ceará.

Conforme documentos obtidos pelo Diário do Nordeste, ao serem interrogados na Delegacia Regional de Iguatu, Antônio Lucas e Felipe Peixoto contaram que receberam a proposta de fazerem a avaliação com um ponto eletrônico – para terem acesso ao gabarito da prova – de um homem desconhecido, há cerca de duas semanas.  E resolveram aceitar – mediante a promessa de pagarem R$ 2 mil, caso fossem aprovados.

A dupla foi detida pela Polícia Militar quando voltou a um hotel, depois do horário da prova. Antônio Lucas garantiu que foi ao local de prova, uma escola, mas desistiu de fazer a avaliação.

Ao abordar os dois suspeitos, os policiais militares já haviam prendido o terceiro homem, Jadson Jesser Xavier da Silva, 21, após um aparelho celular – que seria dele – ser apreendido dentro de um banheiro, na escola onde a prova era aplicada.

Com o trio, foi encontrada uma grande estrutura para praticar a fraude: foram apreendidos 6 aparelhos celulares, 7 baterias, 3 pontos eletrônicos, 2 mini câmeras, um roteador portátil, chips, carregadores de celulares, entre outros materiais. Os suspeitos foram autuados pelos crimes de fraude em certames de interesse público e associação criminosa.

SUSPEITO TAMBÉM FOI PRESO EM FORTALEZA

Outro homem, identificado como João Vitor Silva Ferreira, também foi preso por suspeitar de tentar fraudar o concurso da Polícia Militar do Ceará, no último domingo (22).

João Vitor foi detido após tentar entrar na sala, do local de prova, com um celular. Ao perceber que o local tinha detectores de metais, ele pediu para ir ao banheiro e descartou o aparelho na lixeira. Os fiscais desconfiaram do suspeito e chamaram a Polícia, que realizou a apreensão do material ilegal e a prisão. No carro dele, também foram encontrados outros equipamentos que seriam utilizados para fraudar a prova.

O concurso para soldado da PMCE tem mais de 75 mil inscritos, que disputam 1 mil vagas de contratação imediata e mais 500, de cadastro de reserva. São 850 vagas para homens e 150, para mulheres. A prova foi realizada em Fortaleza e em mais cinco municípios cearenses.

Fonte: Diário do Nordeste